Recomeçar e continuar: existe fórmula mágica?



Os recomeços são momentos que precisam ser analisados de forma global. Para começarmos bem esta história, precisamos entender que o tempo nada mais é do que o melhor remédio para qualquer coisa na vida. Com doses homeopáticas, a gente consegue perceber tanta coisa, que chega a ser assustador. O tempo cura, e eu posso afirmar que cura mesmo. Cura as dores do corpo e as dores da alma. Nada mais pode atuar como ele.

Bem, voltando à análise a respeito dos recomeços, entendo que precisamos mesmo deles e nada é mais poderoso que recomeçar, que dar novas chances aos nossos sonhos e possibilidades. O novo é assustador, o desconhecido traz junto o frio na barriga, aquela conhecida insegurança. Mas ela nos ajuda, por outro lado, a sermos mais cuidadosos, cautelosos... A tatear o novo caminho.

O recomeço nos faz avaliar o que queremos, quando queremos e de que forma queremos. Faz a gente lembrar dos planos de outro momento e adaptá-los à situação atual. Faz a gente pensar com mais carinho nos impactos e resultados. Faz a gente seguir com mais entusiasmo, dedicação.

Eu optei por recomeçar há algum tempo. Dar um novo direcionamento às coisas que não estavam me fazendo bem. Optei por ser egoísta, ainda que declaradamente, e buscar o que eu preciso para ser feliz. Julguem como quiserem, mas eu precisei disso.

Aqui, ainda no caminho que tracei, já me surpreendi muito. Encontrei desafios, paradas bruscas, desmandos, incompreensão, dor e muita decepção. Mas ainda diante de tudo isso, encontrei um raio de luz que faz com que tudo valha a pena. Absolutamente tudo.

Encontrei meu caminho claro, límpido e direcionado. Encontrei pessoas que me compreenderam mais do que eu mesma. Encontrei ombros amigos onde sequer imaginei que teria um.

Ainda sem buscar, encontrei forças que achei que havia sido derrotada em um passado distante. Muito distante.

E, antes que este post se torne apenas um momento de desabafo, quero indicar alguns passos que me ajudaram neste momento e podem ajudar vocês também. Vamos lá?

1. Conheça você mesmo: não adianta apenas achar que algo está errado e não se conhecer o suficiente para compreender o que é.

2. O que precisa mudar: com o primeiro passo em prática, compreenda o que precisa mudar. Você? Suas atitudes ou o outro?

3. Qual o seu objetivo: não adianta se incomodar, entender o que precisa mudar e sequer saber o motivo dessa revolução toda. Analise criticamente onde você quer chegar com tudo isso.

4. Peça ajuda; não consegue caminhar sozinha ou precisa apenas de um apoio, ainda que temporário? Não hesite em pedir ajuda aos amigos e, se for o caso, ajuda profissional mesmo. É fundamental caminhar de forma firme neste novo destino.

5. Reavalie-se: o tempo todo questione o que está fazendo. É preciso saber e ter visão crítica para, se for o caso, mudar outra vez. Seja transparente com você mesmo e saiba quando for a hora de mudar o caminho ou até mesmo parar os planos, ainda que temporariamente.

Espero que tudo isso ajude, de forma leve, que seu caminho, a partir de agora, a ficar mais claro e tranquilo.

Que tal aproveitar e me contar aqui embaixo, qual foi a mudança mais difícil na sua vida?

Comentários

  1. Muito bacana você partilha o seu processo de recomeço! Sem dúvidas, uma excelente maneira de nos inspirarmos a recomeçar, por mais difícil que seja!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Adorei seu texto, estou recomeçando agora! Já salvei seu blog nos favoritos, adorei o conteúdo e creio que vá me ajudar muito neste recomeço!!

    ResponderExcluir
  3. Graziella

    Acabei de conhecer seu blog, buscando por uma vida mais minimalista cai aqui rs

    2. O que precisa mudar: com o primeiro passo em prática, compreenda o que precisa mudar. Você? Suas atitudes ou o outro?

    E quando o que precisa mudar é o outro, o que fazer?? Afinal mudar o outro na maioria das vezes é desgastante e impossivel.

    Me ajuda nessa nova jornada...

    Débora Oliveira

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Mude alguns hábitos para ser minimalista

Um desabafo sobre os excessos

A história do Minimalismo