Consumo Compartilhado



Ao ler a gente meio que leva um susto. Pera aí, eu vou consumir para compartilhar ou compartilhar para consumir? Que tipo de comportamento é este?

Inicialmente a gente deixa o preconceito falar mais alto e pensa que isso é coisa de gente que anda meio sem grana, e até poderia ser em algum momento (será mesmo?), mas hoje o que é chamado de consumo compartilhado deixou para trás estes rótulos medianos para tomar conta da rotina de muita gente.

A base do consumo compartilhado é o desapego, daquele mesmo de não se importar com o que tem e entender o valor da "coisa" que está ali. É coisa mesmo, não é gente! Não tem importância se custou caro ou barato, o importante é conseguir dividir.

Mas não esqueça de que a honestidade e a segurança precisa sempre vir em primeiro lugar!

Como funciona?

Simples, quando eu era criança aproveitei muita roupa das minhas primas. Tipo rodízio. Quem era mais velho acabava liderando a compra. Escolhia e tudo mais. Mas os mais novos aproveitavam as peças e usavam, assim, numa boa. Entendo que meus pais foram bem espertos, porque criança perde roupa em uma velocidade feroz. E haja grana!

Atualmente a coisa ficou mais profissa. Você compra, usa, re-usa, guarda. Percebeu que a peça ficou ali guardadinha, escondida mais tempo do que deveria? Coloca pra girar, amiga!

Existem formas de fazer isso acontecer. Simples ó:

Faça um bazar 

Marque uma data, combine os comes e bebes (é lógico que a desculpa é boa para um encontro e colocar o papo em dia com os amigos, né?), estabeleça um número de peças e as regras. Se vai cobrar um valor, se vai ser uma peça em troca de outra, você escolhe! O importante é que no fim do encontro, você terá roupas novas, muitas risadas e, é claro, um programa incrível no seu fim de semana. Ah, não vamos esquecer que custou baratinho, ou quase nada!

Coloque à venda

Viu que os produtos que gostaria de desapegar não tiveram demanda no bazar das amigas, ou tá precisando descolar uma grana? Venda seus produtos online, por exemplo:

Enjoei: site de vendas super charmoso com uma lojinha delicada para cada um dos vendedores. O cadastro é gratuito e você só paga uma comissão pro site quando vender suas peças. (Aproveita e me segue, sempre tenho desapegos por lá!)

Mercado Livre: Lá no ML você anuncia gratuitamente ou paga um valor para ter destaque. A escolha é sua.

OLX: o site se descreve como o maior classificados grátis do país. Vale a pena tentar? Vale, ué!


Doe

Separe as roupas, lave, dobre e organize. Leve para hospitais, creches, igrejas. Ou junte os colegas de trabalho e monte kits para doação.

Mais fácil impossível.
Que tal aproveitar o fim de ano e colocar em prática o seu novo aprendizado?


Comentários

  1. Não tenho muita paciência para vender minhas coisas usadas, a menos que tenham custado muito dinheiro. Meu lance é doar mesmo. Fico muito feliz quando minha "tralha" acaba sendo útil para outra família.
    Ótimo post, como sempre :)
    http://naestradacomcecilia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Há quase um ano e meio venho me desapegando dos excessos. Tinha tantos sapatos que um dia me senti mal ao contar 125 pares, sendo que na época uns 15 nunca usados. O Enjoei foi minha "salvação" para desapegar. Hoje sinto que tenho o suficiente. Se algo não serve mais ou está velho faço doação e só depois adquiro algo novo. Além de não acumular coisas minha vida financeira começou a se estabilizar.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Mude alguns hábitos para ser minimalista

Um desabafo sobre os excessos

A história do Minimalismo