Radicalismo x Grandes Conquistas



Quando decidimos ser minimalistas, ou percebemos que tomamos este caminho, o orgulho é parte do nosso ganho. É extremamente interessante quando passamos a perceber que nossos valores, ao menos relacionados às coisas, estão se modificando e damos a essas coisas o valor devido. Ou seja, o valor de uma coisa. Mas muito me assusta quando as pessoas passam a adicionar fórmulas radicais aos processos de mudança, isso inclui qualquer uma delas.

Seria o radicalismo uma fonte de inspiração, ao invés da vida nova que você busca? 

Falo isso, pois conheço algumas pessoas que se tornaram vegetarianos de forma radical e passaram a expurgar qualquer um que comece qualquer coisa que fosse contra seus preceitos. Qualquer misto quente era motivo para um sermão de como o presunto era produzido e como os animais são maltratados. Não é este o caminho certo!

Assim, vejo também os minimalistas. O sonho de alguns destes radicalistas é encontrar um número mágico de coisas para ter. Um total de X objetos que supostamente trará a alegria para a vida de cada um. Sinto desconstruir este pensamento, caro leitor. Esta fórmula mágica não existe.

Posso parecer contraditória por aqui, mas não sou. Eu uso os números como norte para minha vida minimalista, não como regra. Não acho que ter 30 pares de sapatos me faria feliz, portanto, me proponho e ter menos. Bem menos! Este número é usado como um lembrete de como eu gostaria de viver. Ressalto: como eu gostaria de viver. 

Caso alguém do meu lado me chame para acompanhá-lo na compra de sapatos, irei com prazer. Desde que aquela companhia me acrescente coisas boas. Afinal de contas, por que não? 
Mas daí colocar um número para tudo o que te pertence, sinto muito, não consigo! Afinal de contas este blog trata do minimalismo na prática não em um mundo paralelo. 

Acho linda a ideia do armário cápsula, mas entendo que o meu já é limitado, por exemplo. Tudo o que tenho ali, conversa entre si, e para mim, isso basta. Como podem saber os leitores mais antigos, já tentei me limitar a ter um número de coisas, o que não funcionou muito bem! Falhei na limitação e não me vejo tentando outra vez. Não que eu consuma desenfreadamente, mas eu não estou no nível oposto do radicalismo: o do excesso.

A ideia deste texto é lembrar que você deve comemorar cada uma das suas conquistas, cada passo que der. Evolua organicamente para seu objetivo maior e quando chegar nele lembre-se de que nem todos estão no mesmo lugar. Seja complacente, semeie os seus ensinamentos pelo exemplo, não pelo sermão radicalista de um recruta recém criado em laboratório.

Comentários

  1. Temos que ser paciêntes com todos pois várias vezes estamos numa jornada diferente. Gostei do seu blog.

    https://vivendocontente.wordpress.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela visita! Também adorei o seu! Vou colocar nos favoritos.
      Beijos e volte sempre!!!
      =)

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Mude alguns hábitos para ser minimalista

Um desabafo sobre os excessos

A história do Minimalismo