Comemorações de final de ano: como agir?

 
Já chegou uma das épocas mais apelativas, em ternos de consumo, do ano: Natal. Quem não compra presentes, compra roupas novas, objetos de decoração, materiais de construção e tudo mais. Esta época as pessoas ficam mais eufóricas com o cuidado com a casa, com si mesmos e o amor pelo próximo se resume em presentear. Seria essa a melhor saída?

Eu adoro dar presentes, adoro ver a carinha alegre das pessoas que receberam o presente e saber que elas terão uma boa lembrança minha. Mas penso muito antes de dar qualquer coisa. e para isso, avalio alguns pontos que considero importantes: 

1. Necessidades: do que aquela pessoa pode precisar? É importante dar algo útil. Imagine dar aqueles presentes que entulham a vida da pessoa e nada tem a acrescentar? Você será lembrado pelo entulho e não pelo carinho. 
2. Escolha para cada um: Dê algo que tenha contexto com o relacionamento. Pense em algo que remeta a uma lembrança, a algo que vocês construíram juntos. Por mais barato que seja, vai valer mais a pena do que o a última palavra em tecnologia, por exemplo. 
3. Presenteie com sensações: como? Simples, um kit com um filme clássico com pipoca e chocolate darão uma sensação de cuidado e atenção, bem mais do que um par de sapatos, por exemplo.
4. Cultive o comércio local: pense em algo que seu vizinho produz, a lojinha da esquina vende ou alguém do seu trabalho. Por quê beneficiar somente as grandes empresas quando se pode ajudar aqueles que estão mais próximos?
5. Produza algo: que tal fazer algo você mesmo? Existem diversos tutoriais na internet que ajudam a fazer coisas simples e com um pouco de cuidado se torna um presente personalizado e cheio de amor. Que tal fazer algo especial?

Essa época também é bem animadora para aquela renovada na casa. Mas questiono, a casa precisa mesmo, ou é mais uma vontade exclusivamente sua? Já vi muita gente reformando algo que não tinha necessidade alguma. Ficar mais prático, fácil, ok. Mas a beleza é relativa. Que tal pensar mais com o bolso e menos com a estética dos outros? E, por quê não fazer isso em uma outra época do ano em que as coisas estão com melhores preços e condições?

Quanto a compra de roupas, de fato, a necessidade de ir à mais compromissos que o habitual faz com que nos desperte a vontade de usar algo diferente. Mas tenho certeza que durante o ano foram adquiridas novas roupas para eventos diversos e que você usou uma ou duas vezes apenas. Que tal reutilizá-las? Se for o caso, que tal mandar reformar em uma boa costureira?

Outra dica é, se for convidada para alguma festa na casa de alguém, leve sempre algo para a ocasião. Nada muito exagerado. Uma sobremesa, uma garrafa de vinho, uma salada... Ofereça seus préstimos e leve o que couber no seu bolso e coração.

Vale a reflexão.

Comentários

  1. Adorei essa sua reflexão! Estou no meu 4º mes sem compras e vou usar no natal um vestido longo que fiz pra um casamento e só usei uma vez. No ano novo vou usar uma saia que mandei fazer mas nunca tinha usado! Quanto aos presentes, esse ano optei por lembrancinhas. Só pro namorado que acabei gastando um pouco mais, mas nada exorbitante não!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bruna, a ideia é essa mesmo. Usar o que se tem e aproveitar o que cada um merece - de coração, ganhar. Nada exagerado fica guardado no coração...

      Obrigada pela visita. Beijocas.

      Excluir
  2. Também é importante ter sempre em atenção se o presente não vai criar "tralha" a quem o damos! Eu devo comprar no máximo 2 presentes, mas alguns que já dei foram feitos por mim!

    ResponderExcluir
  3. Olá, muito boa noite. Acabei de chegar e já gostei de tudo que li. Muito boas leituras e acho que vou me deliciar com muitas mais, me parece :) Sugestão: haverá possibilidade de seguir o seu blog por e-mail? É que me dava imenso jeito ;) obrigada pela atenção. E parabéns pela dedicação!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Mude alguns hábitos para ser minimalista

Um desabafo sobre os excessos

A história do Minimalismo