Consumo, cadê você?


Senhoras e senhores venho por meio deste post, informar que finalmente aconteceu o que tanto esperava por esses anos, perdi a vontade de comprar. Ainda acho as coisas lindas nas vitrines, desejo outras, mas não consigo mais pensar em consumir apenas por consumir. Faz três semanas que a tal “vontade” passou. A prova de tudo isso é que precisei comprar um vestido para um compromisso importante no qual não teria nada que atendesse em casa e lá fui eu andar horas e horas no shopping. Nada em absoluto me atendia, ainda por cima eu sempre me perguntava: “preciso MESMO disso?” e a resposta era sempre não. No final das contas, saí de lá com nada nas mãos. Nadinha...

http://diariodoverde.com/wp-content/uploads/2013/05/Consumismo.jpg

O pior – o melhor, né? É que isso não aconteceu somente uma ou duas e sim, váááárias vezes. Precisei ir ao mercado comprar coisas para minha casa e acabei saindo de lá com quase nada. Porque nada me atendia, tudo era substituído por algo que já tinha em casa, o que comprei, era o que realmente precisávamos! Uma coisa de outro mundo!

Ainda babo horrores com as coisas lindas das vitrines, desejo tantas coisas, mas todas em um mundo diferente do que vivo, ou seja, não tenho nenhum treco se deixar de comprar qualquer coisa. Isso é bom não só pelo dinheiro – mas porque eu não preciso vitalmente de nada disso. O que tenho me atende e o que me atende é o suficiente para viver e bem. Tenho desejos para quando me mudar para o apartamento novo, decorar de forma clean, reformar alguns dos meus móveis, trocar outros que já não me atendem mais, mas  tudo isso, em outro momento e se realmente for necessário.

Longe de mim ser daquelas pessoas miseráveis que conta quantas fatias de queijo compra ou consome, mas eu hoje compro apenas o que é necessário no dia a dia da minha casa e para meu marido e eu. Quem vê de longe pensa mil coisas e imagina uma casa apenas com duas cadeiras e uma mesa. Não senhores, lembrem-se que o minimalismo é a exclusão dos excessos e é isso que estou fazendo a cada dia. Diminuindo os excessos.Ainda tenho muito que aprender, mas só essa etapa me deixa imensamente satisfeita. 


Venci mais uma etapa!!!!

Comentários

  1. Que sensação boa,né?...rs... Eu não sou de comprar muita coisa,só quando não tem saída mesmo...rs... Tipo agora que esfriou muito por aqui e sinto falta de um chinelinho ou de uma pantufa bem quentinha,sabe? Eu uso a boa e velha havaianna, mas com meia,ninguém merece...hahah... Então... Vou comprar...hahah

    Bjs e continue nessa sua tragetória tão bonita,viu?!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Paula, a sensação é de plenitude! Incrível! Sei que ainda terei alguns tropeços, mas estou muito feliz por perceber que isso não faz diferença na minha vida mais!

      A compra não me amedronta mais, então, se eu precisar de uma pantufa, sei que vou sair e voltar com uma pantufa e não com 20 meias, uma calça de moletom, um casaco etc... Que delícia!!!!

      Obrigada pela constancia da sua visita. Adoro seus comentários!!! Tamo junta!

      Beijos

      Excluir
  2. Oi Graziella,

    Parabéns pela conquista!

    Estou começando a trilhar este caminho, e acho que são pequenas conquistas que vão construindo o minimalismo em nossas vidas.
    Parece que no começo, tem que ficar lembrando a todo momento de que não é para comprar sem necessidade.
    Aí o tempo vai passando, e a vontade de comprar também!

    Abraços e sucesso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso mesmo Andreia, as coisas acontecem por etapas e as pequenas conquistas fazem toda a diferença! Parabéns pelos seus passos nessa trajetória, conte comigo para o que precisar!

      Beijinhos,

      Excluir
  3. Quero chegar nesse ponto tb! Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Taís, ainda estou muito longe de onde quero chegar, mas a sensação é incrível! Obrigada pela visita!

      Bjos,

      Excluir
  4. Engraçado como essa sensação pode ser uma faca de dois gumes. Eu cheguei nesse ponto, mas a sensação de frustração foi grande. De alguma forma, quando eu mais precisa comprar uma coisa, mais difícil ficava me convencer a fazer isso. Ontem, por exemplo, eu fui olhar sapatos pela 4ª vez. Preciso desesperadamente de uma sapatinha para o dia a dia, mas eu não consigo engolir a sensação de que não é necessário, que está tudo abusivamente caro. Então eu bolei uma tática: se eu ver algo a venda, e não comprar, mas ficar pensando nele por muito tempo, volto e compro. Funciona muito bem! Ah, lógico, também tenho uma lista de necessidades (sabe, uma regata preta e uma branca, uma meia calça, um pijama, etc e tal...) e ajuda!

    Boa sorte para você! Beijão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tati, a dica da listinha de necessidades é excelente! Assim a gente concentra nela e não abusa! Adorei a dica!!!!!!!!!
      Sobre a compra da sua sapatilha, foi exatamente o que aconteceu com a minha compra do vestido importante...Mas com a lista as coisas ficam mais fáceis!!!

      Beijos e obrigada!

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Mude alguns hábitos para ser minimalista

Um desabafo sobre os excessos

A história do Minimalismo