Começando a praticar

Resolvi aprender a desapegar. Começou assim, em casa quando morava com a minha mãe em um apartamento pequeno e tinha somente o meu guarda roupa para deixar minhas coisas, comecei a entrar em pânico. Nada cabia mais. Uma coleção de bolsas chegou ao assombroso número de 43 peças e um dia resolvi começar a doar. Foi dolorido na primeira vez, mas depois virou rotina. Eu que achava que tinha muita coisa, me deparava com closets obscenos nas revistas de moda e me achava uma perdedora. Por dezenas de vezes precisei trocar minhas roupas quase todas. Ora por ter emagrecido, ora por achar que aquele estilo não cabia mais a mim, ora por ouvir do namorado que eu precisava me arrumar mais ou por dar uma enlouquecida em alguma liquidação. Então tudo foi feito. Comecei com o um guarda roupa grande, de três portas, alto e que me satisfazia. Outro momento resolvi ter um menor. Uma porta a menos me atenderia. Foi aí que o problema começou. Desde então tenho buscado por opções que me proporcionem espaço e diversidade na escolha das roupas e objetos. Que difícil!


Hoje me deparei com um problema maior ainda. Precisava que tudo o que tinha coubesse em um guarda roupa minúsculo. Que loucura! Pronto, precisei tomar uma decisão rápida: doar o que não usava mais, deixar as mais novas, bonitas e que valorizavam. Foi aí que dois terços do meu guarda roupa foram parar no meio das doações dos desabrigados da chuva de janeiro. Alguém foi feliz quando recebeu e eu, por fim, fiquei feliz porque doei. Espaço ainda não tenho.
Para tal tomei uma decisão aqui. Vou aprender a ter um estilo de vida mais minimalista. Não que não comprarei mais nada, mas vou optar por peças de mais qualidade e clássicas. Foi trabalhar com o mínimo de coisas que me permitam o máximo de efetividade. Vamos tentar entrar nesta jornada? Este espaço é para dividir as alegrias, as dores e claro, os choros dos mais difíceis momentos que terei nesta caminhada.
Venha sempre! Divida comigo suas opiniões!

Comentários

  1. Também estou nessa caminhada. Destralhando e organizando. Primeiro decidi me organizar, daí percebi que nunca ia conseguir isso com tanta coisa. Surgiu o minimalismo, e tem sido libertador! Cada objeto inútil que vai embora me deixa mais leve. Adorei o blog vai para o meu reader. :-)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Rô. Eu também estou seguindo um passo de cada vez... Obrigada por suas visitas!
      Beijos

      Excluir
  2. Começando hoje justamente como você: pelo guarda roupa!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Mude alguns hábitos para ser minimalista

Um desabafo sobre os excessos

A história do Minimalismo